Diário de um Banana em um dia

Aos 8 anos Ludo era um leitor voraz de todas as revistinhas da Mônica até o dia em que conheceu a coleção Diário de um Banana. Ele ficou tão entusiasmado que devorou em um dia o primeiro livro da coleção.

diarios-ludo-e-vico-3

Durante dois anos Ludo leu todos os volumes:

  • Um romance em quadrinhos
  • Rodrick é o cara
  • Dias de cão
  • A verdade nua e crua
  • Casa dos horrores
  • Segurando vela
  • Maré de azar
  • Faça você mesmo
  • O livro do filme

O livro “Faça você mesmo”tem atividades para os leitores preencherem, escrevendo no próprio livro, em vez das histórias do personagem Greg.

O personagem tem uma família amorosa e imperfeita, um melhor amigo muito ingênuo, sonha em namorar com a menina mais bonita da escola, comete trapalhadas e faz o leitor se reconhecer e rir das pequenas tragédias da infância.

colecao-diario-de-um-banana

Certamente, o que fisgou o Ludo para querer ler todos os 10 livros foi o humor, nos textos e nas ilustrações de Jeff Kinney.

O autor e ilustrados americano narra, de um jeito cômico, o cotidiano e os pensamentos do menino Greg, que deviam estar em sintonia com as ideias do Ludo e de muitos outros meninos de 8, 9 e 10 anos.

 

Adedanha ou Stop

A brincadeira chamada Adedanha por uns e Stop por outros é um jogo divertido, viciante e democrático, que pode ser jogado em qualquer lugar. Tanto crianças quanto adultos podem brincar, sabendo escolher temas que façam parte do repertório de todos.

Quando eu era criança brincava com lápis e um bloquinho de papel. Hoje em dia até existem alguns aplicativos gratuitos para celular com o jogo, que permitem jogar com várias pessoas.

adedanha-vermelha

O jogo funciona da seguinte maneira:

Primeiro, os jogadores escolhem e escrevem vários temas no papel e sorteiam uma letra do alfabeto.

Em todas as rodadas, depois de sortear uma letra do alfabeto, o objetivo é escrever uma palavra começando com esta letra para cada um dos diversos assuntos combinados pelos jogadores.

Algumas sugestões de assuntos:

  • Nomes de Pokemons
  • Cores
  • Sobremesas
  • Desenhos Animados
  • Frutas, Verduras ou Legumes
  • Países
  • Cantores ou Bandas
  • E tudo mais que a sua inspiração mandar.

Material necessário para jogar:

  • Algumas folhas de papel
  • lápis e borracha para cada jogador

Habilidades necessárias para ser um bom jogador:

  • Cultura Geral e Criatividade
  • Conhecer a ortografia correta das palavras
  • Velocidade para escrever tudo antes dos adversários e gritar…Adedanha! Stop!

A ponte dos quadrinhos

O Vico, com 11 anos, começou a se interessar por mangás por causa de um desenho animado japonês (anime).

O Ludo também teve uma fase de quadrinhos. Ele leu montanhas de gibis da Monica, muitos do Garfield e de heróis da Marvel, como o Espetacular Homem Aranha.

quadrinho-arte

Dizem que ler quadrinhos é criar uma ponte entre livros com figuras e livros de contos e crônicas.Um professor de literatura da Universidade de Washington, em Seattle, reforça essa ideia no  site americano Parents-choice.org.

O professor Drego Little era um menino que amava quadrinhos e, dos 8 aos 15 anos, deu um salto de qualidade no seu vocabulário e aprendeu muito com esse tipo de leitura. Ele explica porque os quadrinhos são a ponte para outros livros:

  •  A linguagem dos quadrinhos pode ser tão complexa quanto a dos livros.
  • Os quadrinhos desmembram o tamanho do texto e o ritmo da leitura fica mais confortável.
  • As imagens dos quadrinhos ajudam a compreensão do texto.
  • Ler frases longas e palavras complexas se torna menos ameaçador.

O professor Little conta que seu filho se tornou um leitor assíduo depois de conhecer o mangá Ironfist, de Takeshi Maekawa, sobre um menino que lutava Kung Fu e desafiava adultos em campeonatos por toda a China. Acho que o Vico pode gostar…

Ele indica, ainda, os quadrinhos que fizeram parte da sua infância e da adolescência:Nebula (X-Men), Mead (Thor) e Radiation (Homem Aranha) e recomenda, entre outros: Bone, Akiko e Usagi Yogimbo.

Não encontrei o mangá do Vico nas bancas de revista aqui perto de casa, então comprei pela internet no site da loja comix.com.br

Espero que ele aproveite a travessia pela ponte.

Diários de Pilar

Todas as crianças podem gostar de ler, inclusive as que são vidradas em jogos eletrônicos.

Aos 9 anos, o Vico só queria saber de jogar Minecraft no computador até o dia em que descobriu a coleção de livros Diário de Pilar. Ele continuou jogando muito Minecraft, mas também  passou a gostar de ler!

Normalmente, nós fazíamos uma leitura compartilhada, sendo que, algumas vezes, era tanta curiosidade pra saber o que ia acontecer nas histórias, que ele lia sozinho.

diarios-ludo-e-vico-2

Hoje, a coleção completa tem 5 livros:

  • Diário de Pilar na Grécia
  • Diário de Pilar no Egito
  • Diário de Pilar em Machu Pichu
  • Diário de Pilar na Amazônia
  • Diário de Pilar na África

A autora, Flavia Lins e Silva, é bastante popular entre as crianças. Ela escreveu, além de outros trabalhos para o público infantil, a série de televisão Detetives do Prédio Azul.

A ilustradora Joana Penna fez desenhos cheios de detalhes para acrescentar informações aos diários da Pilar. São lindos.

Em todas as aventuras estão presentes certos ingredientes irresistíveis para as crianças e os adultos que compartilham essa leitura.

  • Mitologia de vários povos do mundo
  • Descrição deliciosa dos lugares visitados pela Pilar
  • Gostinho de quero mais no final de cada capítulo

diario-de-pilar-ilustracoes

Além das peripécias da personagem, Pilar leva temas delicados para seus leitores refletirem e se emocionarem. Sem querer fazer spoiler vou revelar alguns: Pilar não conhece o pai dela, seu avô querido já está ficando muito velhinho e sua mãe vai arrumar um namorado.

Para saber mais sobre a coleção Diário de Pilar e os outros trabalhos da autora é só acessar o site dela, que inclusive tem fotos da boneca Pilar nos lugares onde as aventuras aconteceram: http://www.flavialinsesilva.com.br.