Literatura Infantil por Cecília Meireles

Cecilia Meireles.jpg

Uma compra muito valiosa pra mim na Bienal do Livro do Rio foi o livro “Problemas da literatura infantil” da poeta e educadora Cecília Meireles.

Apesar do título trazer a palavra “problemas” está longe de ser um rol de queixas e reclamações. O livro, publicado em 1951, reúne 3 conferências da autora sobre educação,  cheias de histórias e curiosidades sobre a literatura voltada para crianças.

Selecionei 3 assuntos e alguns trechos para compartilhar aqui neste post. Espero que vocês também aproveitem a leitura!

Como surgiu a Literatura Infantil?

  1. O primeiro caso foi a redação escrita das tradições orais, que hoje chamamos de Folclore! Cecília Meireles coloca neste grupo os contos dos irmãos Grimm, por exemplo. Chapeuzinho Vermelho, Cinderela, Rapunzel, etc.. que, inclusive, eram histórias bem mais assustadoras nas versões medievais.
  2. O segundo caso foi o dos livros escritos para uma determinada criança, que passaram, posteriormente, para o uso geral, como foi o caso das Fábulas de La Fontaine (A Lebre e a Tartaruga; A Raposa e as Uvas …) escritas para o filho do Rei Luís XIV.
  3. O terceiro caso foi o dos livros que não haviam sido escritos para crianças, mas que despertaram interesse nesse público e dos quais se fizeram adaptações e reduções com o objetivo de torná-los ainda mais adequados aos pequenos leitores.

Os Clássicos

Adorei um parágrafo no qual a poeta e educadora reconhece em 1951 que nem todos os livros célebres de uma época são atemporais e em que ela fala da construção dos clássicos.

“Os livros que hoje constituem a “biblioteca clássica” das crianças foram selecionados por elas. Muitos não traziam, inicialmente, esse destino; outros, que o traziam, foram postos de lado, esquecidos. Ainda outros, envelheceram: serviam ao leitor de uma época, não ao de todas as épocas. Faltava-lhes eternidade.”

book worm

Formação do Leitor Crítico

Foi curioso ler algumas críticas da autora ao rádio, ao cinema e até às histórias em quadrinhos que estavam tomando o lugar da narração de histórias e da imaginação.

Hoje, depois de muitos debates acadêmicos e da influência da mídia nas nossas vidas, entendemos que há vários meios de formação de leitores.

Em um aspecto, porém, ela está muito atual. O excesso de informação sem a preparação para a análise crítica do que se está lendo ou ouvindo já atingia as crianças nos anos 1950 e nem se falava em televisão, muito menos em internet!

“Mas a crise do livro infantil não é uma crise de carência. Ao contrário, é de abundância. De tudo temos, e no entanto, a criança parece cada vez menos interessada pela leitura. O cinema, o rádio, o noticiário rápido das revistas, tudo traz ao corrente das últimas atualidades: mas em tom anedótico, sem lhe solicitar profunda reflexão, nem lhe inspirar grande respeito. O mundo vai acontecendo ao redor dela, e de certo modo parece um espetáculo absurdo, mas de que o homem consegue tirar vantagens instantâneas e opulentas”.

Qualquer semelhança com os tempos em que vivemos e com os debates sobre educação, tecnologia e formação de leitores críticos não é mera coincidência.

Problemas da literatura infantil

 

 

 

 

Anúncios

8 comentários sobre “Literatura Infantil por Cecília Meireles

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s