Às Lolas

Ludo e Vico

Roland que amava Lola que amava Michel,

que partiu para os Estados Unidos

Roland casou com Geneviève, que amava Guy (que também a amava)

Guy serviu a França em Argel

Lola jamais perdeu a fé

Como num romance, deixou o Dancing e casou com Michel, por quem era apaixonada

Lola Lola que não amava ninguém era o Anjo Azul de outro cabaré

LOLA MONTEZ

Lola Montez, nome original Elizabeth Rosanna Gilbert, nasceu na Irlanda em 17 de fevereiro de 1821 e foi uma famosa dançarina “espanhola”.

No final de 1846, Lola Montez dançava em Munique, quando Luís I da Baviera, impressionado com sua beleza, lhe ofereceu um castelo. Ela aceitou, tornou-se baronesa Rosenthal e condessa de Lansfeld.

Sob a influência de Lola, o gabinete do rei ficou conhecido como o “Lolaministerium“.

Em março de 1848, Lola foi para Londres, onde em 1849 se casou com…

Ver o post original 271 mais palavras

Anúncios

Às Lolas

Roland que amava Lola que amava Michel,

que partiu para os Estados Unidos

Roland casou com Geneviève, que amava Guy (que também a amava)

Guy serviu a França em Argel

Lola jamais perdeu a fé

Como num romance, deixou o Dancing e casou com Michel, por quem era apaixonada

Lola Lola que não amava ninguém era o Anjo Azul de outro cabaré

LOLA MONTEZ

Lola Montez, nome original Elizabeth Rosanna Gilbert, nasceu na Irlanda em 17 de fevereiro de 1821 e foi uma famosa dançarina “espanhola”.

No final de 1846, Lola Montez dançava em Munique, quando Luís I da Baviera, impressionado com sua beleza, lhe ofereceu um castelo. Ela aceitou, tornou-se baronesa Rosenthal e condessa de Lansfeld.

Sob a influência de Lola, o gabinete do rei ficou conhecido como o “Lolaministerium“.

Em março de 1848, Lola foi para Londres, onde em 1849 se casou com o tenente George Heald, embora nunca tivesse se divorciado de James, com quem se casara aos 19 anos.

Lola voltou a dançar na Austrália e nos Estados Unidos, tornando-se, mais tarde escritora de livros sobre suas próprias aventuras.

 

A VERSÃO (E A AVERSÃO) DE LOLITA

“Desde a publicação de “Lolita” em 1955, o apelido da personagem Dolores Haze virou sinônimo de uma jovem hipersexuada, sedutora e maliciosamente ingênua. Na verdade, esse arquétipo da ninfeta consolidado no imaginário popular tem pouco a ver com a personagem do livro de Vladimir Nabokov.”

“Para quem não leu: Um professor de meia idade, Humbert Humbert, aluga um quarto na casa de Charlotte Haze e sua filha Dolores, de 12 anos. Ele se casa com Charlotte, que morre algum tempo depois. Humbert e Lolita, como é apelidada Dolores, passam a viver como pai e filha perante a sociedade. A garota é submetida a uma série de abusos até fugir para cair no jugo outro pedófilo, Clare Quilty. Isso dificilmente soa como uma bela história de amor, não?”

“Se no livro é tão difícil perceber a verdade, nas adaptações para o cinema a coisa complica. Já que não podemos enxergar os filmes como os criadores do arquétipo da Lolita, podemos analisá-los como sintomas.”

(https://medium.com/@deixadebanca/lolita-nao-e-uma-historia-de-amor-da922af7dfbe)


LEI LOLA

A Lei 13642 de 2018 atribui à Polícia Federal a investigação de crimes que propagam ódio ou aversão às mulheres por meio rede mundial de computadores.

A blogueira e professora universitária Lola Aronovich inspirou a legislação sobre misoginia na internet.

As imagens desse post foram tiradas do Almanaque do Aluá 1 e do Almanaque do Aluá 2

Pisa e Homeschooling

  • O que é o Pisa?

O Programme for International Student Assessment (Pisa) é uma iniciativa de avaliação de estudantes matriculados a partir do 7º ano do ensino fundamental em escolas públicas e particulares.

O Pisa é coordenado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). No Brasil, a coordenação do Pisa é responsabilidade do Inep.

  • Para que serve o Pisa?

O objetivo do Pisa é produzir indicadores que contribuam para a discussão da qualidade da educação nos países participantes.

As avaliações do Pisa acontecem a cada três anos e abrangem três áreas do conhecimento – Leitura, Matemática e Ciências.

  • Como está o desempenho do Brasil no Pisa?

O Brasil, infelizmente, está sempre na “lanterna desse campeonato”.

  • O que Homeschooling tem a ver com o Pisa?

Homeschooling é o nome pelo qual se conhece a Educação Domiciliar em muitos países.

A maioria dos países que se destacam há anos no Pisa admitem a Educação Domiciliar.

Podemos afirmar que esses países vêm se destacando no Pisa por causa da Educação Domiciliar?

Não, mas podemos afirmar que a Educação Domiciliar não piorou a Educação, não acabou com as escolas, nem com o acesso à Educação nos países que se destacam há anos pelos melhores índices de desempenho escolar, segundo o Pisa.

A Educação Domiciliar é simplesmente uma opção nesses países.

A maioria dos países que encabeçaram a lista do Pisa em 2015 já admitiam a Educação Domiciliar:

Cingapura, China, Japão, Estônia, Canadá, Taiwan, Finlândia, Irlanda, Eslovênia, Suíça, Nova Zelândia, Dinamarca, Polônia, Bélgica, Austrália, Reino Unido, Portugal, França, Áustria, Rússia, República Checa, Itália, Luxemburgo…

  • Por que famílias de países culturalmente tão diferentes como Japão, China, Canadá e Irlanda optam pela Educação Domiciliar?

China

“Muitos defensores da educação em casa na China apontam que não enviar seus filhos para escolas públicas os libera de aprendizagem mecânica e doutrinação entorpecente na sala de aula.” ·

Japão

“… as famílias japonesas que estudam em casa geralmente são motivadas por necessidades especiais de seus filhos. Infelizmente, tem havido falta de apoio em sala de aula para muitas crianças com necessidades especiais, variando de dificuldades de aprendizagem a outras questões como “hikikomori” ou crianças reclusas, outra preocupação crescente aqui no Japão.

Nem todas as famílias de homeschooling japonesas estão fazendo isso por causa de necessidades especiais, no entanto. Algumas famílias estão escolhendo o caminho de educação escolar em casa porque sentem que seus filhos merecem essa opção. Eles acham que é melhor para seus filhos do que para o ensino obrigatório, especialmente porque há mais frustração com o fracasso da educação voltada para resultados, que vem com o aumento das horas de lição de casa e a preparação para exames. Como tem havido casos em que as crianças educadas em casa passaram com sucesso nos exames para entrar nas universidades mais difíceis do Japão, mais famílias estão começando a ver a educação escolar em casa como uma opção legítima ou alternativa às escolas públicas nos dias de hoje.” ·

Canadá

“Hoje, alguns ainda escolhem o homeschooling por causa de preocupações com o currículo do governo ou o desejo de uma ênfase religiosa específica na educação de seus filhos. Mas muitas famílias agora escolhem a educação escolar em casa simplesmente porque é possível e prática como nunca se imaginou. Os pais que trabalham em casa, famílias que viajam frequentemente, crianças com muito talento para esportes, para atividades artísticas ou que tenham necessidades especiais, combinadas com o surgimento de opções educacionais por meio da tecnologia digital, são apenas algumas das razões pelas quais os pais escolhem a educação escolar em casa.” ·

Irlanda

“As pessoas podem escolher educar em casa por vários motivos; tudo, desde o seu filho que odeia a escola até o seu desejo de uma educação secular para o seu filho – e muita coisa no meio. Na Irlanda, você pode decidir estudar em casa por muitas razões – como manter uma oposição religiosa ou ideológica à educação disponível nas escolas daqui. Ou até mesmo objetando a educar uma criança em uma escola.”

  • Moral da história, sou pedagoga, não tenho interesse em política partidária e não sou religiosa. Ainda assim, antes de condenar a Educação Domiciliar como se fosse acabar com a Educação no Brasil ou desprestigiar os profissionais da Educação ou tirar os alunos das escolas, me interessei pelo assunto e acho que deve ser uma opção legal.

Fontes:

http://portal.inep.gov.br/artigo/-/asset_publisher/B4AQV9zFY7Bv/content/o-que-e-o-pisa/21206

http://www.ebc.com.br/educacao/2013/12/ranking-do-pisa-2012

http://www.ebc.com.br/educacao/2013/12/ranking-do-pisa-2012

https://japandaily.jp/homeschooling-in-japan-4182/

https://www.scmp.com/lifestyle/families/article/2153883/chinese-parents-who-homeschool-their-kids-and-why-they-reject

https://www.fraserinstitute.org/blogs/homeschooling-in-canada-continues-to-grow

http://giftedireland.ie/homeschooling/

 

 

 

Prescrições Poéticas

Prescrições de Carlos Drummond de Andrade

  • Lembrete (PARA A ANGÚSTIA)

Se procurar bem, você acaba encontrando

não a explicação (duvidosa) da vida,

mas a poesia (inexplicável) da vida

sete quedas d

  • Poesia (PARA A FRUSTRAÇÃO)

Gastei uma hora pensando um verso

que a pena não quer escrever.

No entanto ele está cá dentro

e não quer sair.

Mas a poesia desse momento

inunda minha vida inteira

sete quedas c

Prescrição de Eucanaã Ferraz

  • Manifesto (PARA A ANSIEDADE)

Sim ao prazer sem custo

Acatar, beber, dividir o bom

que venha feito o sol, gratuito.

Quem sabe o dom, o sem-razão

e o sem-motivos possam mais

do que exigimos. Nem se duvide

do que é capaz a coincidência

entre coisas. Nesse mundo

em que gênios são servos de si mesmos,

pratique-se o descanso, para

que o fogo nunca esteja frio

e o coração passeie seus cavalos.

sete quedas b

Prescrição de Thiago de Mello

  • Qual o melhor poeta para lhe trazer A palavra perto do peito?

Ainda não consegui, eu que leio

poetas todos os dias,

encontrar a medida universal,

a fita métrica mágica,

para aferir quem é grande, quem é maior ou menor.

Menor por quê? Por que maior?

Somos poetas os que somos.

Cada leitor é quem sabe

Os que lhe chegam mais perto

Do peito, do ser, da fronte.

Não sei se os meus prediletos

“Eu plantei um pé de sono

brotaram vinte roseiras”.

(só gosto do que me comove,

só me comove o que entendo)

são pequenos ou são grandes.

Sei só que são bem-amados.

sete quedas a

Aos alérgicos à poesia, recomendo banhos de cachoeira

*Fotos da Cachoeira das 7 quedas em Araras

 

 

 

Tudo o que a Mente ilumina e o Coração aquece

O leão na borda da piscina

A arara de manhã na janela

Contemplação em meio à rotina

Notícia sobre a rosa da favela

Em mão dupla não basta ser prudente

O risco mora nos pés do apressado

Bato a cabeça acidentalmente

Apenas um momento injustificado

Meu dia que começou poesia

Terminou protesto nas ruas da cidade

No meio do caminho teve uma pedra

No caminho dela barbaridade

Não fui sua eleitora e nem a conhecia

Ignorância política tão comum

Em respeito ao que essa vida defendia

Peço o voto de humanidade de cada um

Armas e ódios não salvam

O preconceito só afasta e anoitece

Estes nem conhecem os bens que lhes faltam

Tudo o que a mente ilumina e o coração aquece

Duas Linhas

Hoje cometi uma ousadia aqui no blog.

Escrevi uma poesia. Ou seria prosa poética?

Da última vez que me aventurei como poetisa e mostrei para alguém minha produção eu estava no primário (ensino fundamental). Na época foi ótimo. Ganhei os parabéns dos colegas e da professora na escola.

De lá pra cá não tive outra oportunidade ou fiquei com vergonha de me expor. Não sei o que veio primeiro.

Duas linhas é sobre a amizade e a passagem do tempo.

Duas linhas

Era uma vez dois rolos de linhas.

Foram comprados juntos para costurar roupas de criança pequena.

Viviam se sujando no recreio, de gelatina, suco e areia.

Depois de lavados e colocados no sol para secar espichavam.

Já não serviam para criancinhas, mas para bolsas de meninas vaidosas,

Nelas, guardavam suas bijuterias de corações e papéis de carta coloridos.

Os rolos ainda tinham muita linha para desenrolar.

Surpreendentemente as espessuras das linhas mudavam conforme se descobriam.

Enfeitaram as camisetas das jovens colegiais com flores românticas e delicadas.

As linhas seguiram juntas por muito tempo.

Passavam a combinar com novos tecidos e texturas em colchas de retalhos e tapeçarias.

Remendaram a toalha de mesa no Natal, usada desde a virada do século XXI.

Vinte anos se passaram e com eles aniversários, bailes, festas, casamentos e batizados.

Só uma linha conseguia se lembrar de tudo que tinham vivido.

A outra se preocupava em estar fina para passar pelo buraco da agulha.

De amigas, passaram a concorrentes e, enfim, paralelas, jamais se cruzando novamente.

Um rolo ainda estava guardado no armário até hoje. Do outro já não restava um fiapo.

linhas

 

 

 

 

 

A inteligência do Facebook

panda

Fiquei muitos anos sem participar de redes sociais até decidir inventar este blog. Ainda no início de 2017 eu só abria a internet em casa para usar o Google, o Yahoo e o Gmail.

Atualmente, participo de apenas uma rede social: o Facebook do Ludo e Vico. Não domino a nomenclatura da área, mas acho que o blog além de ser considerado mídia social poderia ser também uma rede social porque troco muitas ideias por aqui com os outros blogs, o que nem sempre ocorre nas redes sociais nem nas rodas de amigos e conhecidos!

Bom, feita a introdução e entregue o convite a quem quiser me acompanhar nas redes,  esse post é sobre algo que eu li hoje no Facebook e achei interessante comentar e adaptar: um artigo sobre inteligência emocional da autoria de Travis Bradberry, veiculado pelo Huffpost.

Tem gente que ainda acha inteligência emocional bobagem, como se o fato de ser bom aluno ou bom atleta ou talentoso para as artes por si só resolvesse a vida profissional e afetiva de qualquer pessoa.

Essas aptidões podem ser muito importantes, mas não prescindem da necessidade de conseguir perceber melhor a si mesmo e aos outros no mundo, de compreender os próprios sentimentos, os significados da comunicação verbal e não verbal, ou seja, de desenvolver a inteligência emocional.

Pensar que inteligência emocional é frescura é o mesmo que ignorar a cultura e os conflitos que fazem parte da vida em sociedade.

Travis Bradberry listou 18 ítens que ele considera importantes para a inteligência emocional. Eu selecionei apenas 4 que eu acho mais significativos e também mais raros e que gostaria de desenvolver nos meus filhos, em mim e em todas as pessoas que eu puder alcançar com esse post.

marcador de coração

  • Ter Curiosidade Sobre as Pessoas: Antes de sonhar visitar lugares remotos onde as pessoas aprendem a viver de outras formas, tenha curiosidade por aqueles que vivem perto de você, que trabalham com e/ou para você, por quem você passa na rua, pelos outros humanos que você vê diariamente há anos. Travis escreveu e eu assino embaixo: “A empatia é a porta de entrada da inteligência emocional elevada”.
  • Aceitar Mudanças: O medo da mudança é paralisante e ameaça a própria felicidade. Crie planos para as eventuais mudanças que possam ocorrer. A capacidade de se adaptar é da nossa natureza, apesar do sofá, do controle remoto e do celular conectado ao wifi.
  • Conheça Seus Pontos Fortes e Fracos: Uma vez a orientadora da escola, que era muito chata falou para minha turma – quando eu ainda era adolescente – que nós precisávamos conhecer nossas limitações. Ninguém gostou de ouvir isso. Era o discurso contrário ao da mídia e ao das famílias, que diziam aos filhos e filhas que se estudassem muito ou treinassem bastante poderiam ser o que quisessem. Hoje eu acredito que insistir no que não é o seu ponto forte por dinheiro, status, ou outra justificativa qualquer é falta de inteligência emocional. Conhecer suas limitações não é fraqueza. É saudável.
  • Não se ofender facilmente: “Se você tem segurança de quem é, dificilmente alguém dirá ou fará algo a ponto de pisar no seu calo. Pessoas emocionalmente inteligentes são autoconfiantes e tem mente aberta, o que cria uma grossa camada de proteção.”

gafanhoto.jpg

A lista com os 18 ítens para a inteligência emocional do Travis Bradberry (como apareceu no Facebook) está aqui.

Espero que tenham gostado do post:)

Até o próximo!