Professoras que as histórias nos contam

Personagem e Profissão

Imagine que você vai encontrar alguém e a única informação sobre a pessoa é a profissão.

Não sabe o nome, se é homem ou mulher, a idade, a que classe social pertence, que tipo de roupas usa para trabalhar, nem qualquer outra informação.

O que sua mente faz? Busca lembrar de alguém conhecido ou de ideias sobre a profissão representadas por personagens da TV, do cinema e da literatura.

A representação das professoras (e dos professores) na literatura infantojuvenil é o tema do livro Professoras que as histórias nos contam – organizado por Rosa Maria Hessel Silveira, Editora D P&A.

As 8 autoras do livro identificaram os principais traços que descrevem professoras e professores, em histórias de aventura, romance e mistério em 100 obras indicadas para crianças e adolescentes, desde a década de 1970 até os anos 2000, no Brasil.

Quem são as professoras (e professores) segundo os 100 livros de literatura infantojuvenil selecionados?

  • Professores de ciências são homens, geralmente heróis, extravagantes, distraídos, idealistas, éticos, descuidados com a aparência e abnegados
  • Professoras e professores de português são austeros, recatados, eruditos, isolados, detentores de conhecimento e controle sobre os alunos
  • Professoras alfabetizadoras seguem a cartilha e o rigor ou são praticamente desnecessárias
  • Professores de educação física são homens fortes, burros, alguns carrascos outros amigos
  • Diretoras e diretores de escola são solitários e poderosos
  • Professoras jovens e lindas usam jeans apertado, se enfeitam, ensinam a “nova pedagogia” e abandonam a profissão para casar.
  • Professores jovens e sedutores são inteligentes, bonitos, ensinam a “nova pedagogia” e não fazem esforço para seduzir.
  • Não há professoras ou professores negros: “Para ser professor, é preciso controlar a raça, disfarçar a etnia”

Certamente você, assim como eu, o Ludo e o Vico,  já leu algum dos 100 livros analisados pelas autoras e nem percebeu a quantidade de sexismo, racismo, dentre outros preconceitos presentes nas histórias.

Não é pra sair queimando os livros por isso. Dá pra incentivar a leitura das crianças e dos adolescentes, que além de conseguirem compreender o que está escrito, devem ser capazes de refletir sobre o que está explícito e implícito no texto e nas ilustrações.

Para quem indico o livro Professoras que as histórias nos contam?

  • O livro é precioso para quem pensa no papel da literatura destinada a crianças e adolescentes
  • É fundamental para quem ensina, incentivando a leitura, e que talvez nem perceba a sua própria imagem nos livros “paradidáticos”
  • Interessa a qualquer pessoa curiosa sobre linguagem, cultura e a criação de significados e verdades

Aqui em Petrópolis eu adquiri o livro Professoras que as histórias nos contam na livraria Vozes (Rua do Imperador, 834)

Anúncios

Condessa de Ségur

As meninas exemplares

Quando eu tinha cerca de 8 anos meu pai me deu uns livros de capa dura no formato histórias em quadrinhos da escritora Condessa de Ségur e eu adorei! Li e reli várias vezes.

A avó do meu marido também contava as histórias da condessa pra ele quando ele era pequeno e essas leituras se tornaram memórias de risadas e afeto de noites especiais.

Décadas mais tarde li algumas histórias do livro texto para os meninos e eles também gostaram.

Quem foi a tal Condessa de Ségur que atravessou gerações aqui no Brasil?

Seu nome era Sofia. Ela nasceu em São Petersburgo em 1799 e se tornou uma conhecida escritora de literatura infanto-juvenil no século XIX na Europa, tendo se popularizado mais tarde mundo afora.

Sophie_de_Ségur

Por que os livros dela são clássicos da literatura infantil?

Porque a escritora russa conseguiu traduzir nas suas personagens infantis as maldades, a ingenuidade, as descobertas, as falhas e os acertos que tanto se apresentavam no comportamento das crianças do século XIX quando no das crianças de hoje em dia.

Os adultos também são descritos como idiotas, espertos, caridosos, egoístas entre outras nuances de caráter observadas pelo olhar dos pequenos.

Além das características bem trabalhadas das personagens, ela cria situações engraçadas, compara a vida no campo e na cidade, que era muito mais distante do que podemos imaginar atualmente, além de outras peculiaridades dos rituais da sociedade europeia da época em que ela viveu.

Para quem tiver interesse em procurar no sebo virtual, segue uma lista de alguns livros da condessa Sofia:

  • As meninas exemplares
  • Os desastres de Sofia
  • As Férias
  • Memórias de um burro
  • Os dois patetas

casa segúr