O diário secreto de um adolescente

adolescentes no parque

Li “O diário secreto de um adolescente”, de Sue Towsend, que me interessou quando busquei informações sobre diários de garotos, nicho majoritariamente feminino nas seções infantojuvenis das livrarias.

Adorei o livro e recomendo para quem quer que viva com um garoto que está atravessando essa fase da vida e também para os próprios adolescentes, que irão se reconhecer na sensação de superioridade intelectual e nas inseguranças diante dos enormes desafios da vida.

O personagem Adrian Mole é um adolescente que vive na Inglaterra dos anos 1980, mas, com poucas adaptações, poderia narrar os mesmos dramas e aventuras em qualquer outro país nos dias de hoje.

adolescentes escola Inglaterra

Quando escreveu esse livro, que deu início a uma série que acompanhou o crescimento de Adrian Mole, a escritora Sue Towsend já tinha quatro filhos e, certamente, muita experiência e sensibilidade para observar o desenvolvimento da sua cria.

O melhor do livro é que a escritora consegue assumir a perspectiva de um adolescente de 14 anos, que enxerga as falhas e patetices dos adultos, sem perder a ternura com relação a eles e a esperança no seu futuro de possibilidades infinitas.

A separação dos pais, a primeira namorada, pequenas rebeldias e irresponsabilidades, manifestações de altruísmo, questionamentos morais e dúvidas sobre a futura escolha profissional são alguns dos temas que surgem nos pensamentos de Adrian e nas suas divertidas conversas com os outros personagens.

Vou colocar o livro na estante do Ludo porque acho que ele vai se identificar com esse adolescente fictício e aproveitar a leitura.

o diário secreto de um adolescente

 

Diários de garotos e garotas

Diário de uma garota

Tirei da estante hoje “Diário de uma garota”, de Julieta Drummond de Andrade, que li quando eu ainda era uma garota mais nova do que a adolescente de 13 para 14 anos que narrou suas férias no verão de 1941/42.

O Ludo e o Vico usam seus cadernos sem pautas para listar filmes e mangás; desenhar e desconfio que aproveitem para escrever algumas ideias, planos e insatisfações. Desconfio porque não tenho acesso a esses cadernos, que eles não chamam de diários.

Os dois leram a coleção completa de Diário de um banana, que fez também muito sucesso com outros meninos da idade deles.

Apesar dessas evidências do interesse de meninos e meninas em escrever os próprios diários ou ler os dos outros, ainda hoje não é comum as mães e os pais incentivarem os filhos homens a manterem um caderno com essa finalidade.

Por que se deve incentivar alguém a escrever um diário?

  • Para poder se manifestar livremente sobre qualquer assunto
  • Para aliviar o peso das cobranças da família e dos colegas
  • Para refletir
  • Para documentar a própria vida

Hoje as redes sociais relatam o cotidiano da vida de todos para todos, mas só no que pode ser mostrado sem constrangimento.

O diário tem a finalidade de documentar a vida naquilo que é secreto, mas que não quer ficar trancado na mente.

Além do célebre diário de Anne Frank, pesquisei outras boas dicas de diários para pré adolescentes :

Dizem que a escolha do título em português não foi das mais felizes, mas que o livro é muito engraçado!

  • O diário secreto de um adolescente – de Sue Towsend. Está difícil de achar, mas não vou desisitir!Pareceu perfeito para os meus meninos que vivem as turbulências da adolescência.
  • Minha vida de menina –  de Helena Morley (pseudônimo de Alice Dayrell Caldeira Brant), escrito entre 1893 e 1895, iniciado quando a autora tinha 13 anos, que a minha avó e a avó do meu marido achavam um livro maravilhoso, minha mãe já leu e eu tenho aqui em casa na fila para as próximas leituras.

Minha vida de menina

Quem tiver outras dicas para aumentar essa listinha de sugestões de diários para adolescentes ou quiser compartilhar seu prazer em manter um diário será muito bem vindo!

Até o próximo post!