Paraty dos barcos e borboletas

barco

Já faz um tempinho que estivemos com os meninos em Paraty, mas as dicas do passeio ainda estão valendo.

Não foi uma viagem planejada, como normalmente fazemos. Eu adoro elaborar listas e ficar pesquisando o que vamos encontrar antes de ir. Paraty foi diferente. Decidimos ir e, no mesmo dia, fizemos as malas e partimos, sem nem ter decidido o hotel.

No caminho, pesquisei pelo celular e reservei a pousada que foi uma ótima escolha.

As melhores lembranças da nossa aventura de 4 dias intensos e divertidos eu registro aqui:

  • Ficamos hospedados na pousada L’Essence, em Pantanal, perto do centro histórico e onde fomos muito bem recebidos. A pousada estava bem cuidada, a comida era saborosa e tinha uma piscininha que aproveitamos bastante, sempre à noite, depois de passear pela cidade.
  • Andamos pelo centro histórico que parece um labirinto  e descobrimos várias lojas que vendem barquinhos de madeira e uma livraria linda: a Livraria das Marés, com seu charmoso café, que pertence ao grupo da sofisticada Pousada Literária.
  • Passeamos de barco para conhecer as ilhas e praias. Alugamos um barco simples, mas só para nós 4. Foi perfeito.
  • Sentimos a emoção de ter arraias passando pertinho de nós na caminhada pelo mar até as praias.
  • Admiramos encantados a beleza do fiorde chamado Saco de Mamanguá, que já tinha recebido a visita do elenco da saga Crepúsculo e até de uma baleia, segundo o barqueiro que nos levou a esse paraíso.
  • Comemos o melhor peixe frito do mundo, sem exagero. Não sei se era a fome ou o ambiente e o frescor da matéria prima, mas estava maravilhoso. Foi no único restaurante (bem rústico) perto do Saco do Mamanguá. Tivemos que atravessar o mangue depois de saltar do barco para chegarmos nessa praia.
  • Nos arredores do restaurante tinha uma casa pra alugar. Meu marido se animou, mas eu achei que era muito Robson Crusoé pra mim. O melhor de ter ido ver a casa foi a surpresa de encontrar dezenas de borboletas azuis pertinho do chão debaixo das macieiras. Que cena linda e inesquecível!
  • Ludo, Vico e meu marido se aventuraram na Cachoeira do Tobogã. Eu só apreciei a coragem deles e a paisagem.
  • Fizemos, ainda, outras aventuras para encontrar tribos indígenas, que dizem que habitam a região, mas só passamos por 3 índios, com roupas de times de futebol e um deles tinha o corte do cabelo do Neymar, na época.

Sei que temos muitas outras praias, ilhas e tesouros para descobrir em Paraty e espero que possamos retornar a essa cidade encantadora.

borboleta