Prescrições Poéticas

Prescrições de Carlos Drummond de Andrade

  • Lembrete (PARA A ANGÚSTIA)

Se procurar bem, você acaba encontrando

não a explicação (duvidosa) da vida,

mas a poesia (inexplicável) da vida

sete quedas d

  • Poesia (PARA A FRUSTRAÇÃO)

Gastei uma hora pensando um verso

que a pena não quer escrever.

No entanto ele está cá dentro

e não quer sair.

Mas a poesia desse momento

inunda minha vida inteira

sete quedas c

Prescrição de Eucanaã Ferraz

  • Manifesto (PARA A ANSIEDADE)

Sim ao prazer sem custo

Acatar, beber, dividir o bom

que venha feito o sol, gratuito.

Quem sabe o dom, o sem-razão

e o sem-motivos possam mais

do que exigimos. Nem se duvide

do que é capaz a coincidência

entre coisas. Nesse mundo

em que gênios são servos de si mesmos,

pratique-se o descanso, para

que o fogo nunca esteja frio

e o coração passeie seus cavalos.

sete quedas b

Prescrição de Thiago de Mello

  • Qual o melhor poeta para lhe trazer A palavra perto do peito?

Ainda não consegui, eu que leio

poetas todos os dias,

encontrar a medida universal,

a fita métrica mágica,

para aferir quem é grande, quem é maior ou menor.

Menor por quê? Por que maior?

Somos poetas os que somos.

Cada leitor é quem sabe

Os que lhe chegam mais perto

Do peito, do ser, da fronte.

Não sei se os meus prediletos

“Eu plantei um pé de sono

brotaram vinte roseiras”.

(só gosto do que me comove,

só me comove o que entendo)

são pequenos ou são grandes.

Sei só que são bem-amados.

sete quedas a

Aos alérgicos à poesia, recomendo banhos de cachoeira

*Fotos da Cachoeira das 7 quedas em Araras

 

 

 

Anúncios

Fotos não reveladas

foto não revelada

O post desse sábado é sobre momentos que parecem tão nítidos como fotos na nossa memória. Por mais que alguns estejam distantes no tempo e no espaço ainda vivem e aquecem o coração quando abrimos nosso álbum.

Fiz uma poesia com algumas das minhas fotos não reveladas. Espero que ela traga boas sensações a quem quiser lê-la.

Fotos não reveladas

 

Minhas fotos não são instantâneas

São imagens que alcançam o presente

Que se revelam contemporâneas

Capturadas pelo coração e iluminadas pela mente

 

Meu pai explicando um artigo

O Vico no balanço da praça

O Ludo cantando comigo

Fofo achando graça

Mamãe me oferecendo figo

Delice com as mãos na massa

Maria e João no porta-malas

Cecília e seu sorriso cativante

Lisa animando as aulas

Cada memória em seu instante

 

Fotos internas feitas de afeto

Ampliam cenas queridas

Oferecem o panorama completo

Enquadram o foco nas vidas

Mudança

O post desta segunda-feira, que eu não tive como escrever ontem (no dia “certo”) é sobre a mudança e alguns dos seus vários sentidos ao longo da vida.

Estamos, aqui em casa, vivendo processos de mudança, que geraram reflexões e resultaram nessa poesia, oferecida agora, com votos de uma ótima semana a todos!

Vivemos de mudança

De mais um endereço e nova vizinhança

Do efeito do tempo sobre a pele da criança

Da expectativa que se fez lembrança

Das mãos que entregam e recebem a herança

De quem comanda até a próxima liderança

Da proteção do colo ao vidro fechado por segurança

Da desilusão convertida em vingança

Do aprendizado que ensina a temperança

Dos medidores da comparança

Do que ora nos une e ora nos afasta por sua diferença ou semelhança

casas